Expectativa e realidade!

Anúncios

 

Expectativa e realidade. Pense nisto sempre!
Talvez um dos maiores problemas das pessoas seja a expectativa. E não estamos falando da expectativa em relação aos outros, mas em relação a nós mesmos. Pensar demais em alguma coisa só faz aumentar a ansiedade em relação ao resultado final, prejudicando a percepção do que acontece na realidade.
Muitas vezes vemos algo na Internet que nos leva a um impulso de comprar ou desejar o mesmo. — mas MUITA CALMA NESSA HORA! Pode ser uma cilada, e das grandes. Na propaganda parecia “A” camisa ou “O” vestido pra sair. Na realidade ficou aquela roupa normal que a gente usa em casa no dia a dia…
tenha cuidado ao acreditar em “facilidades” ou espertos digitais que se aproveitam da ingenuidade das pessoas. “só existe o esperto porque existe o trouxa”.

Em algumas situações,  temos que começar a entender que esperteza não é sinônimo de falta de caráter. Esperto é o que vislumbra uma saída lógica para um problema, mais simples ou rápido que os demais. #expectativa#realidade#photography#

Publicado por Dr. Ricardo Santos de Oliveira

Professor Livre Docente Departamento de Cirurgia e Anatomia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Professor colaborador da FMRP-USP. Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (1994), Doutorado em Medicina (Clínica Cirúrgica) pela Universidade de São Paulo (2001), Pós-doutorado no Hôpital Necker-Enfants Malades (Université Rene Descartes) 2001-2002, Pós-Doutorado FMRP-USP 2003-2004 (glicobiologia dos tumores cerebrais). Orientador pleno programa de pós graduação do Departamento de Cirurgia e Anatomia - FMRP-USP Atualmente é médico assistente da Divisão de Neurocirurgia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo e docente credenciado do Depto. Cirurgia e Anatomia (Pós-graduação). Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Neurocirurgia Pediátrica e Neuroncologia atuando principalmente nos seguintes linhas de pesquisa: Neoplasia cerebrais sólidas da infância, glicobiologia de tumores cerebrais pediátricos, trauma e neuroncologia.

Deixe uma resposta Cancelar resposta